Publicado por: CLëF | 2013/03/07

Hey?

O que tem acontecido por aqui?

Quanto tempo… Devo continuar neste endereço ou migrar para outro blogname?

Anúncios
Publicado por: CLëF | 2010/08/16

Stomp…

Só quero deixar isso por aqui…
// Deck file for Magic Workstation (http://www.magicworkstation.com)
// NAME: Green Deck – felclef
// Lands
9 [M11] Forest (1)
4 [WWK] Khalni Garden
4 [ZEN] Misty Rainforest
4 [ZEN] Verdant Catacombs
// Creatures
4 [WWK] Arbor Elf
4 [ROE] Kozilek’s Predator
4 [M11] Llanowar Elves
4 [ROE] Nest Invader
// Spells
4 [ZEN] Beastmaster Ascension
3 [ZEN] Eldrazi Monument
4 [M11] Garruk Wildspeaker
4 [DDD] Overrun
4 [ROE] Gelatinous Genesis
4 [ROE] Awakening Zone
// Sideboard
SB: 5 [ROE] Gelatinous Genesis
SB: 5 [M11] Cultivate
SB: 5 [M10] Rampant Growth
SB: 5 [ROE] Jaddi Lifestrider
SB: 5 [WWK] Nature’s Claim
SB: 5 [ZEN] Nissa Revane
SB: 5 [ZEN] River Boa
SB: 5 [ROE] Tajuru Preserver
SB: 5 [M11] Protean Hydra
SB: 5 [ZEN] Terra Stomper
SB: 5 [ROE] Kazandu Tuskcaller
SB: 5 [M11] Leyline of Vitality
… é lá do finzinho do mês passado. Abs
Publicado por: CLëF | 2010/06/27

Wireless Awesomeness

Provavelmente, esse post será uma dica. Provavelmente, não será útil pra você que não mora em São Paulo, capital.

Mas, se você mora em São Paulo e está lendo o post, poderá aproveitar toda a dufuturobilidade(r) e awesomeness(tm) de fones estereofônicos bluetooth (widely known as brutufi/blutufi pelas mães).

Eu li muitos reviews antes de resolver comprar. Pesquisei muitos preços. Basicamente, dizem: “música e wireless não combinam, fique longe dos fones sem fio!”, “procure usar os fones da Motorola com o celular no bolso de trás, daí pára de pular”, etc etc…

Fora os comentários negativos, man, preços: vão de 60 reais até 800. Isso falando de compras óbvias: piso do ML, obviamente fones pirateados da Motorola e o teto em lojas como Fnac (Nokia e Motorola, basicamente).

Bom, comprei o meu fone. Foi na Avenida Paulista, no Boulevard Monti Mare. China Phones of Total Brutal Awesomeness. Ah, man, you can be sure about the fuckin AWESOMENESS, lol lmao ftw pwnage bbq!

Eu comprei ontem à tarde. Até agora, não precisei carregar e usei certamente por mais de 12 horas seguidas. Essa merda deve dar câncer, I’m pretty sure, mas diz que açúcar, ajinomoto, picanha, coca, ps3 e sexo dão, então… fuckoff!

Pra quem se interessa, eu vi que é bem difícil achar coisa que presta sobre o assunto. Então fica a dica: 90 reais bem pagos, imho.

Fotos:

Bom, enfim… Na foto, tem o contato ponta firme.

Vou fazer igual os cuzeiros. Vantagens e desvantagens :3

Vantagens:

  • – awesomeness;
  • – dufuturobilidade;
  • – som forte, claro, de uma qualidade surpreendente para um China Product;
  • – confortável, even if you enjoy your glasses;
  • – relativamente leve (eu sou meio bruto);
  • – testado e aprovado com Motorola Droid/Milestone (ou seja, eu tenho A2DP);
  • – é grande, então vc pode se sentir o Megaman (além de abafar o som ambiente, testado no metrô, túnel da linha vermelha);
  • – vc vai chocar todos quando estiver falando sozinho, pq atende ligações muito bem tb;
  • – passar a música direto no fone te faz sentir o agente Smith. Sério mesmo!
  • – bateria do futuro (não vicia, pode ficar carregando sem parar, nub);
  • – ele fica piscando, o que torna mais freak e dufuturo ainda… oh wait \;

Desvantagens:

  • – ele precisa ser recarregado. Ok, tá, 4 horas pra encher a bat;
  • – ele é grande (btw, vc pode se sentir o Megaman);
  • – ele pisca e chama a atenção. Muito;
  • – os botões fazem um click bem alto quando utilizados, evidenciando a materia prima Chinesa e cancerígena;
  • – ele é aparentemente frágil, mas no jeito China de ser;
  • – o som dele é muito forte. Se você não se cuidar, poderá incomodar muito o pessoal no trem, metrô ou ônibus… oh wait 😀

Edit: o fone saiu por 90 reais, com “tloca”. Pra quem não sabe, “galantia” é quando o china “galante” que funciona no ato da compra. Ele testa, vc vê e tá “galantido” que funciona. Com “tloca” vc pode levar lá e “tlocar” por um novo, em casos de necessidade (quebra, mal funcionamento e em raros casos, insatisfação). Ah! Sim, “tlês meses pla tloca”… ^_^

Edit2: o modelo do fone tá na foto aí… mas anyway, é SX-905D… eu não achei absolutamente nenhuma referência na net (ebay e similares…). Se você sabe aonde encontrar, sem ser no BMM da Paulista, deixa um comment pro pessoal. Enfim…

Edit3: mapa, lol

Vão se foder, abraços! Uma ótima semana!!

Notas:

  • “dufuturobilidade” e variantes são marcas (aparentemente) registradas de Izzy Nobre. Vá ler o blog dele e segui-lo no twitter.
  • awesomeness é qualquer coisa que eu não sei explicar. Talvez seja mesmo tm do 4chan e coligados;
  • eu tive a brilhante idéia de escrever no notepad++ e esqueci que tinha tópicos no wp… ohfuck!
  • essas notas não valem nada ù.u
Publicado por: CLëF | 2010/02/21

Platonismo (e o TCC não sai…)

Eu, na verdade, devia estar escrevendo o TCC.

Disseram num comentário que o blog está muito filosófico. Nem lembro de qual post, sei que foi do Felipeta. Eu concordo, mas aí vai:

O mito da Caverna de Platão!

Lê quem quiser. Mas, diga quem leu: como assim fabricou um instrumento?

Filosofar no passado devia ser bem mais fácil que hoje…

E além de tudo, miro minhas dúvidas em filosofia platônica. O próprio adjetivo já remete significados inalcansáveis.

Seria o lado de fora da caverna apenas o esforço de fabricar (misteriosamente) a ferramenta ou a coragem de “sair e pensar fora da caixa” (caverna, no caso)?

Ano que vem eu vou ficar um mês fora da caverna para ver se lá é tão melhor. Too many underlings to think well *crazy*.

Quem daí planeja ou deseja imigração? Eu quero o Canadá, por enquanto… Se alguém puder me ajudar conversando e trocando idéias, comente aí… Ou me contate no link “Who dares?” do blog…

[]

Publicado por: CLëF | 2010/02/18

O fim são os fins, e vice e versa

Boa. Ficou ruim o título (!!!). Enfim, quem liga?

Eu só queria comprovar o seguinte: às vezes, os fins são mais importantes, subconscientemente, que os meios. Muitas vezes, ninguém nem liga para o caminho percorrido para chegar a algum lugar.

E pq infernos eu estou falando disso? Oras, pense você! Imagina só se, na gana de ser médico, um rapaz resolver fazer qualquer merda de facul, fizer nas coxas cursos de especialização e se tornar, por influência e NOTworking networking, um neuro-cirurgião?

Imagine você, se pela vontade de ser presidente de uma empresa, um rapazola resolver investir nos cursinhos méh, colar pra caralho e ocupar a cadeira por conta do pai?

Não menos pior: eu sofri na faculdade na mão de professor que não tinha noção do que estava falando. Você já teve uma aula assim?

Agora, isso acontece muito? Porra, demais! Quer um exemplo menos catastrófico, toma:

Rá! Mas parece gostoso mesmo 8F

Rá! Mas parece gostoso mesmo =F (pra quem tá boiando, acessa o post anterior pra entender o que aconteceu)

Na boa, um dia o blog talvez seja grande o suficiente pra eu pegar um mês do ad-words e dar de brinde pra galera… mas qual o CAMINHO para que o beirute chegue até vc mesmo?

Vamos pensar: eu ligo ou peço pela Internet, se ele não chegar em 28 min, o Habibs deixa como cortesia. Hmmm… Mas se ele chega, tem que pagar. Ok. Em qual momento é realizado o pagamento? (:B)

É né, fez cara de ‘B’ , sabia! É LÓGICO que é no ato da entrega!! Nem se eu quisesse eu ia conseguir pagar os beirutes…

Enfim, mesmo assim, teve os comentários na velocidade que comprovou minha tese… muitas vezes, os fins são muito mais sedutores que os meios… por isso os vídeos de sexo fazem tanto sucesso. Pensem nisso.

(Só pra constar, as 5 pessoas que postaram lá, pq eu aumentei o número pelo twitter pra causar mais, e tiveram essa moral e talz, vão ganhar o Beirute sim: eu topo pegar um dia pra sair com cada um, tomar um refresco e pagar a conta, ok? bjs, me liguem!) – [A Mongrel, se bem que nem era pra valer, pq ela recebe por e-mail os posts; Paola Paps, cujo aniversário tá pertinho; Felipeta, o ganhador de promoções; Falconeri, cabeludo; e a garota do elemento X, Xenia]

Publicado por: CLëF | 2010/02/18

Beirutisse…

1, 2, 3… VALENDO!

Os 3 primeiros comentários com endereço de entrega ganham beirutche habibs!

Publicado por: CLëF | 2010/02/12

Maaalditos wannabes!

Já vou começar advertindo: eu serei extremamente parcial e agressivo nesse post.

Absoluta certeza de que ele vai ofender metade de meus amigos. E há grandes possibilidades d’eu perder metade dessa leva aí. Ou não. Mas foda-se!

Eu vou falar, especificamente, de duas raças de filhos da puta insuportáveis –se você se incomoda com palavrões, relaxa que só vai ter “fdp”, um ou outro “falo”, muita “interjeição drástica” e talvez uns vtnc; não costumo falar nada sobre a “casa do falo”. São eles os bicho-grilos do software, entusiastas da TI (principalmente do Software Livre [SL]) e os gerentinhos, pessoas normais vítimas do vírus M, de management.

Gerentinho típico: as dumb as a rock (facebook)

Gerentinho típico: as dumb as a rock (facebook)

Acho que a maioria dessa geração usa forums. Vou começar a falar justamente disso. De uns tempos pra cá, a galeria wannabe de forums tem achado bonito colocar frases do tipo:

“Use a busca do forum antes de perguntar. Antes de criar tópico, certifique-se de sua dúvida não ter sido perguntada por outra pessoa!”

E algumas mais agressivas:

“Por que caralhos não usar a busca antes de perguntar? Se vc não sabe usar um search, não é digno desse acesso nem de ajuda nenhuma!! :@”

Opa. Pra que serve um… forum? Existe uma porra que se chama link. Se alguém menos provido de instinto perguntar algo que um retardado, assim como esse que fez esse tipo de frase na sig, já perguntou, mas o fez de forma que seja impossível encontrar, faça o seguinte: link isso para ele e peça, GENTILMENTE, que o topico seja fechado e RELACIONADO. Assim, há MAIS chances de se encontrar a dúvida original. Hã? Faz sentido, né?

Bom, mas o que leva alguém ser tão ignorante, heim Stella? Me diz?? Ora, é obvio! O CONHECIMENTO, RÁ!

Em TI temos um defeitinho. Assim como o arquiteto é enjoado, o engenheiro é burro e o médico nojento, o profissional de TI é todos ao mesmo tempo e ainda é orgulhoso. Nunca, mas nunca mesmo deixe um profissional de TI saber que ele é necessário, que foi fundamental para salvar uma vida ou mesmo que ele é inteligente. Acaba ali qualquer resquício de humanidade e ele se tornará uma entidade divida, o avatar do saber, personificação da solução una!

Eu generalizei, mas a gente ia falar de duas raças de cuzões né? Tá, começar pelos entusiastas. Eles fazem esse tipo de cosias nos forums. São os carinhas anti-troll, são os puritanos, os rapazes e moças que irão trabalhar mas big sei-lá-que (big blue, big G, big Mc, tanto faz) e fazer palestras e palestras ensinando tudo aquilo que você já sabe fazer, ou não precisa saber, ou passa a aprender que sempre soube mas precisava fazer do jeito deles (!). Pois bem. Essa galera veste, geralmente, uma camiseta do time do coração. Os mais retardados mentais são os de tênis verde, que acham que o Software Livre libertará o mundo da fome, da aids, câncer, cancro mole e outras venéreas.

Eu não quero em hipótese alguma sugerir que o SL não presta. NÃO, pelo contrário, eu acho FUNDAMENTAL, principalmente o PostgreSQL, Red Hat linux, Ubuntu, 7zip, dentre outros (vem, seu filho da puta, vem me dar uma aula sobre licenças BSD, GNU e as diferenças do OS pro SL, come forth, fucker! Pra mim — e pro Betinho que lembrou bem– é tudo a mesma merda!! lol). O que eu acho ridículo é entusiasmo desmedido, que gera algumas atitudes ridículas.

SL alimenta o mercado

SL alimenta o mercado

Vou pegar um caso recente: lançamento do Buzz. Óh! Todo mundo fala que é o Twitter do Google. Vários disseram o mesmo do Wave. Tem entusiasta que insiste em dizer “não, existem uma série de funcionalidades e aplicações profissionais, integrações e interfaces diferentes. O Buzz é um aplicativo bla blabla blóbló bla, bélblolo…” ae o cara já começa a parecer a professora do Charlie Brown… de tão CHATO que é a porra do discurso dele, um pró-google. D’onde surge essa paixão do pró-googlismo? Oras, o google usa Python! Eta bixo grilo filho da puuuuta!!!

E vai eu querer defender o contrário, citar que o Google tá fazendo igual a MS quis fazer com um monte de tentativas falhas de “roubar” marketi share… Se você usar o termo “galera vocês estão lambendo o saco do Google”, pronto, acabou. Deu a eles a faca e o queijo para proferir um “é, o nível dessa conversa está aquém do que eu esperava. Mute aqui. T+”.

Ah! Me desculpe, esqueci que no Buzz, que é praticamente o mesmo conceito do Twitter, a gente deve ser polido e extremamente profissional. Uma vez que estou tratando com um dos Ases do desenvolvimento, eu devia ser mais respeitador.

Esse é um exemplo do estrelismo desse pessoal entusiasta. Para eles, existem dois tipos de pessoas: as que concordam com eles e as que estão erradas. (nesse quesito, meu jeito de escrever me faz parecer bem com eles, mas eu só sou folgado mesmo, NUNCA vou ignorar alguém em forum, twitter, msn ou whatever por discordar do que falo; a questão é a superioridade que permite a ignorância)

Eles vão à campus party. Se não forem, o que vão citar em seus currículos? Eles fazem artigos pro IMasters. Qualquer artigo, nem que esse seja como usar strings de conexão para conectar com o MySQL. Eles ensinam a configurar roteadores e farão uma palestra sobre isso na faculdade, se puderem!

E quando essas coisas acontecerem, eles são exagerados, seguindo dois caminhos: ou vão usar tenis verde, camisa polo amarrotada, deixar o cabelo e barba crescer pelo resto da vida (esteriótipo SL) ou vão começar a usar roupas sociais e encrespar o vocabulário. Esse segundo esteriótipo, geralmente, é o cara que ganha um voucher para fazer uma certificação básica daquelas MC-qqq. Depois da primeira, ele vai atrás de todas, assim como um escoteiro busca suas costuras no lencinho.

O que acontece, é que esse pessoal perde as características mais sedutoras de um humano. Vc não consegue ensiná-los nada. Vc não consegue ajudá-los em nada. Vc nem consegue comer as mesmas coisas que eles (os carinhas do SL geralmente viram vegetarianos –nada contra, Marcola, adoro brócoles de bruxelas). Eu chamo esse estágio de atrofia carismática.

Eba! Vamos beber, é sexta!! “Não posso, estou preparando um texto para o simpósio sobre nuvens computacionais”. Hã? Mas… a gente se formou faz uns 3 meses, vc já tá na pós?? “Não, terá campus party e eu quero estar com as perguntas preparadas”. Perguntas? PERGUNTAS? Você vai numa porra de de simpósio de um acampamento e vai preparar um texto pra isso!? *situação hipotética*

Enfim. Esses caras são um saco! A pior parte é quando eles realmente acreditam que isso os levará ao sucesso. Nessa hora, vale tudo, até copiar artigos de sites gringos, traduzir porcamente, e postar nos blogs pessoais. Lógico, alguém vai precisar ver aquilo e você colocará o link em seu currículo.

É mais digno brincar disso quando se é jovem e não esperar virar chefe pra fazer essas prezepadas...

É mais digno brincar disso quando se é jovem e não esperar virar chefe pra fazer essas prezepadas...

Desse pessoal, muitos tem a grande vontade de ser expoentes da hi-tech. Dominar uma linguagem nova no mercado, como o Ruby, que não conecta nativamente a nada que não seja o MySQL (isso vai dar briga). Mas nem todos conseguem! Lógica de programação, seja lá qual for a linguagem, é como the biggest pain in the ass pra eles. Não conseguem acompanhar o que é um ponteiro em C, quem dirá viajar nas design patterns do Java e do .net. É aí que o rapaz vai experimentar a heroína da chatisse: o management.

Assim como toda droga vinda da folha da coca, o management tem pra todos os gostos: gestão de projetos, governança, gestão estratégica, planos de negócios. Enfim. Há uma infinidades de siglas, como PMI, PQP, VSF, COBIT, etc.  Quando o cara começa a ouvir falar disso, já era. Ele vai se tornar um gerentinho.

No futuro, se ele se casar (há grandes chances, pq ele provavelmente ostentará uma pajeirinho, que vai atrair gerentinhas) ele é o tipo que vai comprar cebola no s-mercado e faz um planejamento. A hora que sairá, a fila que poderá pegar, a gôndola que é mais propícia a incidências positivas. Ele prepara, inclusive, um plano B, caso sua esposa gerentinha entre com um claim pq as cebolas são pequenas. Afinal, na pior das hipoteses, ele convencerá ela a fazer um change request e tudo estará formalizado e bem entendido. Se o almoço atrasar pq ele precisou comprar cebolas boas, denovo, não é culpa dele. Ele justificou. Bu-ro-cra-ti-ca-men-te.

O cara planeja as fodas do mês. É sim. Se tem feriado, e há viagem, ele sempre prepara um diagrama de rede com todas as atividades, precedentes e dependentes, o tempo de folga, caminho crítico. E se a  mulher estiver “naqueles” dias, ele entra em desespero: J-zuz, uma incidência de um risco desconhecido!

A vontade de crescer é tanta que ele deixa de ser autêntico: busca de todas as formas a auto propaganda. Usa de todos os meios de comunicação para aparecer, nem que seja um pouquinho. Igual um pixador que escreve lá “é nóis, tuinho esteve aqui, 09, ZL, pro mundo, nóis que tá, vlw, mancha verde” em todos os vidros do trem. No twitter, então? Ele tem followers estrategicamente planejados: ele segue a CIO, Você SA, PEGN, Sebrae… Se ele descobrir o twitter do Max Gehringer –bom, eu amo esse cara, se eles descobrirem, eu roubo!– fo-deu! Vai rolar RT até queimar a API!

Trabalhar é um prazer enorme... para os escrotos que cospem trabalho!

Trabalhar é um prazer enorme... para os escrotos que cospem trabalho!

O cara é ativo 24/7, amigão! Insuperável em motivação e crescimento pessoal!! Ele lê os melhores livros — e vai tornar essa info pública, ah, ele vai…–, vai às melhores palestras e eventos. Feriado é hora para projetos pessoais, afinal, ele nasceu para liderar, para ter sua empresa. Ele é como um super herói no Brasil. Um ponto fora da reta. Uma mosca branca. Ele é, nada mais nada menos, que nosso gerentinho.

E por falar em twitter, ele certamente irá postar coisas como:
“Estou escovando meus dentes, a fim de evitar doenças que comprometam minha escalada na carreira, rumo ao sucesso #pmp #pmi #profissional #TI”

Lógico que um head hunter irá ler isso um dia e dizer: oras, esse cara tem higiene e um ótimo caráter. Viverá muito mais que outros concorrentes, veja, o twitter diz que ele não terá cáries. É de um sorriso desse que nossa empresa precisa! Rá!! Nosso homem!

Um vendedor do Polyshop tem mais carisma e sinceridade que esse tipinho. Eles se vestem de ternos pretos e gravatas vermelhas. Afinal, é o que ele deve parecer, um bóooss. Eles também vão escrever toneladas de mini artigos e apelarão para as traduções. Citarão “Pai Rico Pai Pobre” quando puderem e têm adesivos da 90,5 em seus carros.

Tá chega, esses esteriótipos malditos são de dar raiva.

Finalizo dizendo que, não é o Twitter, o Buzz, o Facebook ou mesmo o Linked-in que farão de vocês alguém na vida. Nem tão pouco um cargo ou salários. Um dia, se você precisar de um abraço de um amigo, de sair pra conversar com alguém, é bom ter a certeza em seu coração de que essa pessoa não estará ali por causa do networking, interessada em uma indicação. As coisas mais raras da vida, que agregam valor humano não podem ser mensuradas, nem tão pouco capitalizadas. Quer mesmo aparecer na sociedade? Não escreva um artigo para um site elitizado, nem prepare uma palestra para profissionais cultos. Participe de um projeto social, seja um palhaço contando histórias para crianças em hospitais. Vai ser mais humano, saia com seus amigos pq sente falta deles. Eu sou jovem demais para dizer que isso é um conselho, mas talvez seu cérebro compreenda a hashtag #ficadica. Afinal, você já viu uma mega sena acumulada sorteando 20 anos de vida?

As promessas de sucesso, como uma panacéia, chegam sem parar na caixa de spam. Lembrem-se disso!

Duas semanas? Best deal! Vou fazer essa project academy!!

Duas semanas? Best deal! Vou fazer essa project academy!!

Publicado por: CLëF | 2010/02/12

Fast-post: proibição do funk e rap…

Rapidão que eu preciso trabalhar…

http://g1.globo.com/Carnaval2010/0,,MUL1487458-17812,00.html

O Beto twittou isso…

Eu acho que é completamente desnecessário esse tipo de providência. O problema não é a música, é quem gosta dela, PRA quem se incomodou com a situação.

A imposição é, sem dúvidas, anti-democrática e reduz o objetivo de “reviver as marchinhas” a uma grande bagunça de decepções. Quer reviver a marchinha? Incentive eventos, promova as festas de carnaval, mas resolver proibir cidadãos de ouvir um dado estilo musical devido à sazonalidade é ridículo… #prontofalei

Publicado por: stehzitcha | 2010/02/12

Tristesse/Joie

Resolvi dar uma estendida nesses assuntos do coração (ui). Cá estava eu atendendo uma senhora muito simpática, e estávamos falando sobre beleza, vaidade, e etc… Me fez lembrar bastante das idéias do kurefo, e me fez refletir sobre outros assuntos também…

Muitas vezes, temos a pessoa produto citada no post abaixo, a pessoa “perfeita”, linda, simpática, que por seus atributos consegue muitas aventuras, paixões, oportunidades e por aí vai… E tem os tais solitários não-solitários.

É. xD Aquela pessoa que não consegue desfrutar de sua própria companhia, não suporta se ver sozinha. E quando eu digo “sozinha”, me refiro a uma companhia do outro sexo, um relacionamento mesmo. Quer seja casual, ou não, enfim.

Elas têm necessidade de SEMPRE estar com alguém, estar apegada a esse alguém. Concordo que o ser humano precisa de carinho, atenção, e tudo mais. É difícil não compartilhar desses sentimentos com ninguém. Mas também aprendi que muitas vezes não há como escapar de certas sensações…

Quem aqui nunca sofreu por amor, ou sofreu por não poder ficar com alguém de quem gosta muito, ou coisas parecidas? As chamadas desilusões? Hum, quase todo mundo, acredito. Óbvio que levar um fora, ver o seu namoro acabar, são situações extremamente chatas e desgastantes para o nosso psicológico. Costumamos ouvir de nossos amigos “poxa, vem cá, vamos sair, esquece isso! ;D” e bla bla bla. Sabemos que eles têm a melhor das intenções… MaAaAaAaaaAaass… muitas vezes não temos como ficar adiando esse sofrimento pra sempre.. e eu me refiro a qualquer situação, não somente a questão de levar um fora, ou terminar um namoro.

Na vida existem momentos que TEMOS que ficar tristes. É. Tipo um relógio assim, “hora de ficar triste”. Óbvio que nunca em vão, infelizmente por algum motivo… Mas por mais tempo que adiarmos isso, se tornará pior, e poderá até se transformar em uma mágoa maior, ou um trauma… Por isso, melhor sofrer logo de uma vez, do que aos pouquinhos… Melhor não tentar tapar o sol com a peneira (sabedoria de rodoviária! Uhu!).

Lalala, olha eu desviando do assunto.

Mas o que eu quis dizer (ou sei lá), é que podemos aproveitar a vida sozinhos! É possível desfrutar da própria companhia! É possível se divertir em casa, jogando vídeo-game, ouvindo música, whatever! É very important ter amigos, poder contar com eles, se divertir com eles e tal. Mas acima de tudo, aceitar a condição de estar sozinho, solteiro, que seja.

Prazeres Amélie Poulain, manja?

diliça

Conhecer alguém especial, se apaixonar, querer ficar junto, é somente uma conseqüência da pessoa ótima que você pode se tornar aceitando a si mesmo. (Parece trecho retirado de livro de auto-ajuda. D;)

Bu, e daí? São só pensamento de uma monga… :B

Publicado por: CLëF | 2010/02/11

Let’s talk about sexionaments

Eu fui magro. É, magro. Talvez não magro, mas atlético: braço definido, pouca barriga, pernas torneadas. Andava de bicicleta o dia todo, era um fenômeno do colegial. Tais atributos me concederam o apelido –merecido ou não– de grandessíssemo filho da puta. Sim, filho da puta.

E por que diabos eu estou dizendo isso no começo do post, sem nem mesmo tê-lo-lo-vos-tes-lhes-os cumprimentado? Simples, pq irei tomar por base minha própria vida, que apesar de bem curtinha, foi cheia de aventuras… (uie!)

Bom, um grande amigo meu disse uma vez que “pessoas são produtos”. Nós sempre fomos do contra em qq indagação, um do outro… Mas essa, ah! essa em específico não pôde ser contrariada. Quantos de vocês já quiseram namorar, depois resolveram que iam só ficar, depois resolveram que iam noivar e casar, e agora estão solteiros? Quantos, pelo contrário, estão casados, mas planejavam viajar, fazer altas bagunças, conhecer gente no mundo inteiro, mas tá aí, feliz da vida com a vida familiar?

A gente muda. Isso é uma afirmação obvia, trivial e totalmente desnecessária… A não ser que eu vá explorar justamente o motivo das mudanças. É o que nos torna meramente produtos reativos aos estímulos do ambiente e das outras pessoas.

Ele já sabia que tudo se resumia... humm, nakilu!

Ele já sabia que tudo se resumia... humm, nakilu!

Esses dias eu estava na cozinha, conversando com a Livia, Tati e Marcola (pra quem não sabe, eu moro junto com o Marcos e com a Livia, a Tati namora o Marcos…) e falávamos sobre relacionamentos. Na conversa, dois pontos de vista diferentes surgiram: casar, ter uma família, criar filhos oooooou… ter um relacionamento estável, porém, independente, sem vínculos legais, cada um com sua casa e “indo dormir” na casa um do outro.

Ambos tem seus argumentos contundentes, que não serão discutidos aqui no post. Se quiserem comentar suas opiniões, comentem que eu com certeza vou responder e começar um forum aqui no etoma lol. Mas o que eu quero é referenciar o seguinte: as tragetórias de vida, as experiências e emoções vividas poderão fazer com que você se sinta mais seduzido por uma ou por outra opção. Ou mesmo por estar solteiro. Ou mesmo por viver uma vidinha de merda sem sexo. Ou não.

No meio dessa conversa, a gente falou sobre os atributos que levam uma pessoa a escolher seu parceiro. É lindo vc dizer que fulana te completa, que ela é compreensiva, paciente, divertida, carinhosa e inteligente sem mencionar os peitos, a bunda, coxas, olhos, sorriso e cabelo. Parece que há uma valorização do bom sobre o belo, meramente por parecer politicamente melhor e aparentemente mais popular. Afinal, quem quer parecer fútil, principalmente se o assunto for conquista?

Esse assunto caiu no seguinte: a Tati conhece uma moça extremamente gostosa que casou com um rapaz feio. Feio. Assim, simplesmente descrito como… Feio. Mais precisamente, baixinho e feio. Na verdade, baixinho, feio e gordinho… Gordo. Melhor: huge muthafucker! Tá, deu pra entender né?

Mas, pq? Pq, heim Roberto, pq?

Enfim, a gente começou a teorizar a coisa. Pessoas bonitas tem uma tendência –tendência pode ser interpretada como regra e, por conseguinte, terá exceções, verdadeiras, comprovadas.. ou não– a usufruir dessas características para peneirar seus parceiros. Terá mais pretendentes, mais namorados, trocará de parceiros mais vezes, experimentará mais convites, mais viagens e oportunidades infindáveis, que o escrotinho, provavelmente só conseguirá por meio de seu fréndz notworking. Isso criará uma segurança tamanha, que por vezes ela não irá medir as conseqüências –o pt_br que aprendi não é esse sem trema– de como poderá se tornar um estímulo para que uma pessoa-produto mude.

Uma pessoa produto pode ser linda fisicamente. E segundo essa teoria completamente sem sentido pra vc,  essa pessoa terá mais acesso aos mesmos atributos de beleza que ela ostenta. Assim, as chances de se magoar pela possível troca opcional do parceiro é maior. Mesmo linda, pode ser que o parceiro esteja seduzido apenas por atributos de beleza e encontre alguém mais bonito. O parceiro, bonito, jovem, desencanado, sabendo que pode ir e vir, por ser uma jóia rara, uma maçã mais vermelha dentre as outras, tem a confiança para realizar a troca. Também terá a inconseqüência, fruto de sua auto-estima sem limites.

Acabou a água em casa, eu tive que derreter gelo pra beber... Só pra constar que eu me fodi ^_^

Acabou a água em casa, eu tive que derreter gelo pra beber... Só pra constar que eu me fodi ^_^

Está feita uma pessoa-produto. Isso pode se repetir várias vezes, até essa pessoa linda de morrer se tocar que, possivelmente, o que ela deseja é alguém que lhe dê atenção e subsídio emocional para curtir a vida.

Bom, nesse momento entra o feio em ação. Mané, nunca foi escolhido para nenhum time de futebol, nunca ficou com ninguém nas excursões pro playcenter, tomou altos foras na 7a e 8a série e carrega consigo algumas mágoas do trote do colegial –suposições, ninguém falou isso do rapaz escroto que foi citado. Imagine esse rapaz com a chance épica, o prêmio de loteria de ficar com uma pessoa que ele nem teria coragem de olhar. Pois bem, ela olhou pra ele e eles se conheceram. Imagine só o que esse cara não é capaz de fazer para manter esse relacionamento. Se ele for religioso, será um presente de Deus, se for cético, sabe que incidência estatística disso acontecer novamente é impraticável em 80 anos de vida. Ele não tem os subsídios que o gatão teve para se sentir seguro de arriscar “algo melhor”.

Tá aí, produtos, reativos, frutos de mágoas ou de felicidades. Não estou jogando por terra as características emocionais e mentais dos cidadãos. Até pq, essa bonitona do exemplo pôde bem ter sido uma destruidora de corações num passado, pq não? E, produto que é, foi sendo lapidada, foi aprendendo com mágoas o que ela não queria mais pra si, não causando mais isso nos demais e buscando características que lhe provessem segurança.

Vai por mim, um cara desses pode te fazer feliz. Não medirá esforços pela relação!

Vai por mim, um cara desses pode te fazer feliz. Não medirá esforços pela relação!

Eu admito que parte da narração sobre o escrotinho vem de minha vida: durante meu ensino fundamental, fui escrotizado e até humilhado em algumas situações por não ser tão atraente. Eu que não peguei ninguém em excursão (ooooh, tadinho). Sempre disse que isso não me fez falta alguma, mas meu colegial talvez seja a prova do contrário.

Me joguei na bicicleta como diversão além dos jogos de RPG (pelo menos, sempre fui nerd). Emagreci, fiquei esbelto, atraente e já era um expoente no que diz respeito a maturidade em uma conversa mais pessoal. Sempre fui bastante inteligente, e acabei me tornando um monstro: fisicamente atraente, mentalmente irresistível –nossa, que exageiro. Eu fui podre. Eu namorei uma garota, fiquei com outras, tuuudo simultaneamente. Hoje sei que me escondi atrás de confusões sentimentais que foram disparadas pela minha segurança extrema. Novamente, as suposições sobre a gatona ae da conversa, também advém dessa época bohemia.

Não sei se por influência da opinião dos outros, mas hoje eu encaro as coisas que fiz nos meus relacionamentos juvenis como sacanagem pura. Também sou produto e sinceramente começo a acreditar um pouco nas pessoas que passaram a me odiar por cada pessoa que se apaixonou por mim e depois se magoou.

Bom, lenga lenga pra lá, esse grande amigo meu é alvo de uma barra pesada, como todos já passaram ou passarão. Eu sinceramente desejo toda sorte do mundo pra ele. Me sensibilizei por ter sido algo próximo a essa conversa sobre relacionamentos que tive. Uma coisa que eu digo a ele e digo a vocês é: o que não te mata, te deixa forte; a questão é até quando vc aguenta. — citando Defuzzie, lol

A gente certamente cresce com os erros. Não precisam ser os nossos. Sorte daqueles que aprendem com os erros alheios, pois terão todo o aprendizado, sem as honrarias da culpa e responsabilidade dos atos errados. Isso me lembra Braid, que eu preciso jogar loucamente pra viajar um pouco nesses dias de TCC… \o\

É triste, mas certas mágoas que causamos são como pregos em uma táboa. Vc até tira o prego, mas o furo fica. Meu pai, uma vez, falou algo assim, nem sei se ele tirou isso de parábola bíblica, mas faz todo sentido. Outra coisa análoga, é que a verdade é que as pessoas vão te machucar, cabe a você decidir por quem vale a pena passar por tudo isso. Enfim, frases de rodoviária e MSN…

Eu me despeço meio triste, pq esse post é mais uma forma de exteriorizar algumas opiniões, sentimentos e desabafos, particulares e empaticamente roubados de quem está sofrendo por amor…

(ah! O sexo, onde fica? Deixa um comment e preenche o e-mail que eu entro em contato contigo… ;* Brinks!)

*errei alguma coisa? digitei algo muito errado? comenta que eu arrumo, pode deixar… (= aliás… quer escrever pro etoma? só levantar a mão! *

Older Posts »

Categorias