Publicado por: CLëF | 2010/02/11

Let’s talk about sexionaments

Eu fui magro. É, magro. Talvez não magro, mas atlético: braço definido, pouca barriga, pernas torneadas. Andava de bicicleta o dia todo, era um fenômeno do colegial. Tais atributos me concederam o apelido –merecido ou não– de grandessíssemo filho da puta. Sim, filho da puta.

E por que diabos eu estou dizendo isso no começo do post, sem nem mesmo tê-lo-lo-vos-tes-lhes-os cumprimentado? Simples, pq irei tomar por base minha própria vida, que apesar de bem curtinha, foi cheia de aventuras… (uie!)

Bom, um grande amigo meu disse uma vez que “pessoas são produtos”. Nós sempre fomos do contra em qq indagação, um do outro… Mas essa, ah! essa em específico não pôde ser contrariada. Quantos de vocês já quiseram namorar, depois resolveram que iam só ficar, depois resolveram que iam noivar e casar, e agora estão solteiros? Quantos, pelo contrário, estão casados, mas planejavam viajar, fazer altas bagunças, conhecer gente no mundo inteiro, mas tá aí, feliz da vida com a vida familiar?

A gente muda. Isso é uma afirmação obvia, trivial e totalmente desnecessária… A não ser que eu vá explorar justamente o motivo das mudanças. É o que nos torna meramente produtos reativos aos estímulos do ambiente e das outras pessoas.

Ele já sabia que tudo se resumia... humm, nakilu!

Ele já sabia que tudo se resumia... humm, nakilu!

Esses dias eu estava na cozinha, conversando com a Livia, Tati e Marcola (pra quem não sabe, eu moro junto com o Marcos e com a Livia, a Tati namora o Marcos…) e falávamos sobre relacionamentos. Na conversa, dois pontos de vista diferentes surgiram: casar, ter uma família, criar filhos oooooou… ter um relacionamento estável, porém, independente, sem vínculos legais, cada um com sua casa e “indo dormir” na casa um do outro.

Ambos tem seus argumentos contundentes, que não serão discutidos aqui no post. Se quiserem comentar suas opiniões, comentem que eu com certeza vou responder e começar um forum aqui no etoma lol. Mas o que eu quero é referenciar o seguinte: as tragetórias de vida, as experiências e emoções vividas poderão fazer com que você se sinta mais seduzido por uma ou por outra opção. Ou mesmo por estar solteiro. Ou mesmo por viver uma vidinha de merda sem sexo. Ou não.

No meio dessa conversa, a gente falou sobre os atributos que levam uma pessoa a escolher seu parceiro. É lindo vc dizer que fulana te completa, que ela é compreensiva, paciente, divertida, carinhosa e inteligente sem mencionar os peitos, a bunda, coxas, olhos, sorriso e cabelo. Parece que há uma valorização do bom sobre o belo, meramente por parecer politicamente melhor e aparentemente mais popular. Afinal, quem quer parecer fútil, principalmente se o assunto for conquista?

Esse assunto caiu no seguinte: a Tati conhece uma moça extremamente gostosa que casou com um rapaz feio. Feio. Assim, simplesmente descrito como… Feio. Mais precisamente, baixinho e feio. Na verdade, baixinho, feio e gordinho… Gordo. Melhor: huge muthafucker! Tá, deu pra entender né?

Mas, pq? Pq, heim Roberto, pq?

Enfim, a gente começou a teorizar a coisa. Pessoas bonitas tem uma tendência –tendência pode ser interpretada como regra e, por conseguinte, terá exceções, verdadeiras, comprovadas.. ou não– a usufruir dessas características para peneirar seus parceiros. Terá mais pretendentes, mais namorados, trocará de parceiros mais vezes, experimentará mais convites, mais viagens e oportunidades infindáveis, que o escrotinho, provavelmente só conseguirá por meio de seu fréndz notworking. Isso criará uma segurança tamanha, que por vezes ela não irá medir as conseqüências –o pt_br que aprendi não é esse sem trema– de como poderá se tornar um estímulo para que uma pessoa-produto mude.

Uma pessoa produto pode ser linda fisicamente. E segundo essa teoria completamente sem sentido pra vc,  essa pessoa terá mais acesso aos mesmos atributos de beleza que ela ostenta. Assim, as chances de se magoar pela possível troca opcional do parceiro é maior. Mesmo linda, pode ser que o parceiro esteja seduzido apenas por atributos de beleza e encontre alguém mais bonito. O parceiro, bonito, jovem, desencanado, sabendo que pode ir e vir, por ser uma jóia rara, uma maçã mais vermelha dentre as outras, tem a confiança para realizar a troca. Também terá a inconseqüência, fruto de sua auto-estima sem limites.

Acabou a água em casa, eu tive que derreter gelo pra beber... Só pra constar que eu me fodi ^_^

Acabou a água em casa, eu tive que derreter gelo pra beber... Só pra constar que eu me fodi ^_^

Está feita uma pessoa-produto. Isso pode se repetir várias vezes, até essa pessoa linda de morrer se tocar que, possivelmente, o que ela deseja é alguém que lhe dê atenção e subsídio emocional para curtir a vida.

Bom, nesse momento entra o feio em ação. Mané, nunca foi escolhido para nenhum time de futebol, nunca ficou com ninguém nas excursões pro playcenter, tomou altos foras na 7a e 8a série e carrega consigo algumas mágoas do trote do colegial –suposições, ninguém falou isso do rapaz escroto que foi citado. Imagine esse rapaz com a chance épica, o prêmio de loteria de ficar com uma pessoa que ele nem teria coragem de olhar. Pois bem, ela olhou pra ele e eles se conheceram. Imagine só o que esse cara não é capaz de fazer para manter esse relacionamento. Se ele for religioso, será um presente de Deus, se for cético, sabe que incidência estatística disso acontecer novamente é impraticável em 80 anos de vida. Ele não tem os subsídios que o gatão teve para se sentir seguro de arriscar “algo melhor”.

Tá aí, produtos, reativos, frutos de mágoas ou de felicidades. Não estou jogando por terra as características emocionais e mentais dos cidadãos. Até pq, essa bonitona do exemplo pôde bem ter sido uma destruidora de corações num passado, pq não? E, produto que é, foi sendo lapidada, foi aprendendo com mágoas o que ela não queria mais pra si, não causando mais isso nos demais e buscando características que lhe provessem segurança.

Vai por mim, um cara desses pode te fazer feliz. Não medirá esforços pela relação!

Vai por mim, um cara desses pode te fazer feliz. Não medirá esforços pela relação!

Eu admito que parte da narração sobre o escrotinho vem de minha vida: durante meu ensino fundamental, fui escrotizado e até humilhado em algumas situações por não ser tão atraente. Eu que não peguei ninguém em excursão (ooooh, tadinho). Sempre disse que isso não me fez falta alguma, mas meu colegial talvez seja a prova do contrário.

Me joguei na bicicleta como diversão além dos jogos de RPG (pelo menos, sempre fui nerd). Emagreci, fiquei esbelto, atraente e já era um expoente no que diz respeito a maturidade em uma conversa mais pessoal. Sempre fui bastante inteligente, e acabei me tornando um monstro: fisicamente atraente, mentalmente irresistível –nossa, que exageiro. Eu fui podre. Eu namorei uma garota, fiquei com outras, tuuudo simultaneamente. Hoje sei que me escondi atrás de confusões sentimentais que foram disparadas pela minha segurança extrema. Novamente, as suposições sobre a gatona ae da conversa, também advém dessa época bohemia.

Não sei se por influência da opinião dos outros, mas hoje eu encaro as coisas que fiz nos meus relacionamentos juvenis como sacanagem pura. Também sou produto e sinceramente começo a acreditar um pouco nas pessoas que passaram a me odiar por cada pessoa que se apaixonou por mim e depois se magoou.

Bom, lenga lenga pra lá, esse grande amigo meu é alvo de uma barra pesada, como todos já passaram ou passarão. Eu sinceramente desejo toda sorte do mundo pra ele. Me sensibilizei por ter sido algo próximo a essa conversa sobre relacionamentos que tive. Uma coisa que eu digo a ele e digo a vocês é: o que não te mata, te deixa forte; a questão é até quando vc aguenta. — citando Defuzzie, lol

A gente certamente cresce com os erros. Não precisam ser os nossos. Sorte daqueles que aprendem com os erros alheios, pois terão todo o aprendizado, sem as honrarias da culpa e responsabilidade dos atos errados. Isso me lembra Braid, que eu preciso jogar loucamente pra viajar um pouco nesses dias de TCC… \o\

É triste, mas certas mágoas que causamos são como pregos em uma táboa. Vc até tira o prego, mas o furo fica. Meu pai, uma vez, falou algo assim, nem sei se ele tirou isso de parábola bíblica, mas faz todo sentido. Outra coisa análoga, é que a verdade é que as pessoas vão te machucar, cabe a você decidir por quem vale a pena passar por tudo isso. Enfim, frases de rodoviária e MSN…

Eu me despeço meio triste, pq esse post é mais uma forma de exteriorizar algumas opiniões, sentimentos e desabafos, particulares e empaticamente roubados de quem está sofrendo por amor…

(ah! O sexo, onde fica? Deixa um comment e preenche o e-mail que eu entro em contato contigo… ;* Brinks!)

*errei alguma coisa? digitei algo muito errado? comenta que eu arrumo, pode deixar… (= aliás… quer escrever pro etoma? só levantar a mão! *

Anúncios

Responses

  1. Vim aqui comentar pra ganhar minha Melissa… agora vou ler..

    bj

    • ah, muito cool, que bonitinho… estou me sentindo igualzinho o site da melissa, que fica postando sobre promoções pra ganhar acesso.. dá certo, a gente combina e vc escolhe a sua melissa… (=

  2. Ok, agora li. Curti o texto e achei muito, mas MUITO valido.
    Os feinhos geralmente são mais legais e inteligentes. Te tratam como rainha e não te chamam de preguiçosa no dia que vc quer ficar de chinelo em casa ao invez de ir pra academia e fazer 20 series de 15 de leg press com 50 kg de cada lado…rs
    Bjs….
    2 melissas?? rs

    • ahuahuah, vou pensar na sua segunda premiação…

      Outra coisa que discutimos, que não coloquei ae no post, é exatamente isso: os feinhos acabam naturalmente desenvolvendo outras capacidades. Um cara que é gatão dificilmente se interessará pela rotina, gostos, desejos de sua pretendente. Ele não precisa saber sobre melissas, por exemplo, nem ser empático de saber o quanto elas significam para as mulheres. Ele simplesmente precisa aparecer, e isso ele sabe fazer.

      O feinho tente a ser mais empático, se por no lugar. Pensar como a mulher, para estar mais próxima do que ela sente e pensa.

  3. Óia só, a pessoa se inspirou horrores e escreveu horrores também xD gostei do texto gente

    Como te disse a pouco, muito inspirador.. infelizmente o povo valoriza muito a “pessoa produto” ae, a pessoa lindíssima e tals… mas num é só por aí xD as vezes a gente consegue o combo, da pessoa super bonita, super legal e super tudo mais

    mas já dizia a Tati quebra barraco, “sou feio mas tô na moda” (olha a referência)

    xD enfim, realmente o texto é muito válido

    \O

    kisu! e como é essa história de promoção de melissa?? onde que eu preencho?

  4. Texto muito…..muito bom!!!
    […~]
    beijos

  5. Uia, eu diria que como pessoa produto, vc está bem melhor.
    Só precisa perder uns 10kg. lol

  6. XD hj passei, li e vou comentar (olha q blza… evoluindo) Isso aqui tem limite de caracteres (já desperdicei uns 100). Bora. 1- A gte muda. A natureza se transforma. A gte acompanha as mudanças, globais e individuais. Somos produtos? Tá, pode ser. Amo produtos então.

    • Eu tb amo e tenho o péssimo costume de encher meu carrinho de super-mercado com todos os gêneros de produtos…

  7. 2 – Pessoas bonitas têm SupEr-Alta-auto-EstIma, será mesmo? Eu acredito em máscaras, pq p/começar a blza é algo discutível; O belo imposto pelos padrões da moda. O belo imposto por nossas culturas e crendices (tem acento?). O belo pela inteligência. O belo pela excentricidade ou simplicidade. É tipo gosto, e pra mim, isso ñ dá p/discutir.

    • A gente fala de belo do padrão cultuado: homem sarado, mulher peituda. Isso é o padrão remetente à mediocridade de opinião pública. Igual dizer que “todo brasileiro gosta de samba” e afins.

  8. 3 – Amo Manés. Eles são forçados a se apegar à coisas específicas. A serem excelentes em algo. Nem que seja em uma coisa apenas. Se transformam muito, talvez muito mais em quem seja apenas Bonito. E creio que Manés, mudam… mudam mesmo, eles adquirem uma autoconfiança baseada nas experiências. E podem se tornar “bonitinhos”, os famosos, feios-arrumadinhos. Algo totalmente aceitável pela sociedade.

  9. 4 – Vc sabe que eu tenho o aval regilioso sobre minhas condutas. Então, presentes de Deus, são fantásticos!

    • Eu gosto de ganhar presentes… Mas sobre o aval? Eu prefiro confiar no determinismo, como teoria do caos, fractais ou efeito borboleta…

  10. 5 – É, vc realmente foi podre. E eu? tô perdoada?

    • Sei não, vc participou de muitos crimes… Se não for perdoada, eu juro que faço seu processo ser culposo, invés de doloso, como o meu…

      Reu primário, nível universitário, pra vc vai ser fichinha conviver com isso!

  11. 6 – Sou tão cautelosa que, às vezes, eu gostaria muito de ter “honrarias da culpa e responsabilidade dos atos errados”. Péssimo isso, não, querido guru?
    Segundo seu post… Isso é bom, só observo e evito certas conseqüências… :b

    • Dá uma olhada sobre o joguinho que citei, Braid… Os erros são moralmente legais, mas é como diz Shakesmongol: a dor é fácil de se lidar, exceto para quem sente ela…

  12. 7 – Não se despeça triste… eu AdOreEi seu post. Me fez lê-lo diversas vezes pra eu escrever isso tudo aqui… rs. T.Amu. E pra te animar: Nunca estive tão magra 😉

    • Ah, triste pelo meu camarada que tava fodido… Mas de um dia pro outro se resolveu com a mina, ae fiquei feliz e ao mesmo tempo boquiaberto, afinal, foi tipo um disparate, não algo que merecesse taaanta preocupação…

      No geral tou feliz por ele agora… (=

      • … hehe, vai entender né!? Esses produtos parecem ter vida própria. Qdo menos esperamos, somos surpreendidos. I’m Happy too. BjuX

  13. XD hj passei, li e vou comentar (olha q blza… evoluindo) Isso aqui tem limite de caracteres (já desperdicei uns 100). Bora. 1- A gte muda. A natureza se transforma. A gte acompanha as mudanças, globais e individuais. Somos produtos? Tá, pode ser. Amo produtos então.

  14. Adoro posts onde seus comentários são editados!!!

    “Quem deve não bebe!!” Tô certa com a analogia?!

    Espero q entenda!!

    bjs Clef!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: